quarta-feira, 1 de abril de 2020

Rentabilidade de Março

Olá!

Mês passado foi o pior mês da carteira até o momento, ontem fiz o aporte de costume, R$ 350,00, dessa vez aportei em ações, e optei por comprar tudo de Lojas Renner, pra facilitar meus controles, estive fazendo minha declaração de IR estes dias e deu um certo trabalho calcular preço médio de tantas operações, principalmente porque eu fazia minhas compras todas picadas no mesmo dia, 1 ação X, 2 Y etc... e no final eu não sei separar os emolumentos e taxas, quanto que coloca pra cada ação... daí ficou complicado, por isso resolvi que a parti de agora vou comprar 1 única ação por dia, daí pego o valor total da nota de corretagem e pronto.

A minha primeira compra de LREN3 foi de 1 ação a R$ 47,50, ontem comprei 10 por R$ 35,25, hoje enquanto escrevo estou vendo que está caindo mais e cotada a R$ 31,38, tenho um timing terrível pra compras, alguém tem alguma sugestão?

Bom, vamos pra planilhas, como tenho conta em 2 corretoras, uso 1 planilha pra cada e no final a planilha do AdP faz o consolidado.

Na Clear tenho as Ações, -20% em Março
Minhas ações caíram muito neste mês, mas menos que a média, considerando que o Ibovespa caiu 30%.

Na XP tenho Tesouro Direito e FIIs
Na XP nada se escapou também, só SELIC mesmo que ficou positivo, os títulos do TD todos caíram junto com os FIIs, nestas épocas de crises o povo está vendendo tudo pra ter liquidez.

Consolidado
 Resultado final de Março de 2020, -11,11%, no ano temos -13,81% e acumulado desde o começo, -5,57%. A renda fixa tem mitigado as quedas da renda variável, é bem possível que a renda fixa tenha rentabilidade maior que a variável nos próximos 5 anos caso a crise se estenda... como foi de 2010 a 2016.

Abraço e até o futuro!

segunda-feira, 30 de março de 2020

Livro: Investindo em Ações no Longo Prazo

Este é um clássico do mundo dos investimentos, Jeremy Siegel fez um ótimo estudo do mercado de ações e títulos americanos, compilando dados de 200 anos, e nos traz informações muito importantes sobre risco de cada classe de investimento.

Foi com base nos dados deste livro que eu decidi a alocação 50% RF e 50% RV variável, foi uma adaptação minha, muitos que leram este livro acabam por escolher 100% renda variável, mas se você observar com atenção, embora as ações no longo prazo sempre venceram os títulos, tem alguns períodos da história onde títulos que pagam inflação+ conseguem ganhar, principalmente no curto prazo, então pensei em utilizar isso pra balanceamento da carteira.

Para investimentos com prazo acima de 10 anos, as ações sempre venceram os títulos e letras desde 1802. Para períodos acima de 17 anos, as ações nunca ofereceram um retorno negativo.

Uma das minhas anotações no Kindle sobre o livro

Abaixo tirei mais uma captura do livro, espero que não tenha problemas em compartilhar isso, mas achei essa parte muito relevante para o investidor, dependendo do tempo que pretende manter seus investimentos, há um percentual ideal para cada tipo de investimento que faz com que seu risco seja mínimo, com base nos retornos em cada horizonte de tempo.


Foi com base nestes estudos que montei a página sobre alocação, que eventualmente eu ainda edito e dou umas melhoradas. Warren Buffett disse uma vez que o horizonte de tempo que ele considera ideal para um investimento é para sempre. Quando eu morrer, não é necessário vender os ativos, simplesmente passarão a meus herdeiros, então nesse caso Buffett tem razão.

Mais adiante o autor explica diversas formas de analisar o mercado, e como algumas análises prejudicaram os investidores. Por exemplo, antigamente era esperado que as ações pagassem um rendimento maior que os títulos, já que são mais arriscadas, só que de 1958 até 2009 o rendimento das ações foi menor que o rendimento pago pelos títulos, só que os retornos reais das ações foram em média 6% ao ano superiores aos títulos.

"As ações eram um direito sobre ativos reais cujos preços aumentavam com a inflação, ao passo que os títulos de longo prazo não."


Uma questão que chamou minha atenção foi sobre as empresas boas pagadoras de dividendos, eu já li o livro do Decio Bazin, Faça Fortuna com Ações, e ele defende justamente investir em empresas que paguem mais dividendos do que a renda fixa, geralmente é difícil encontrar essas oportunidades, mas enfim, com base nos estudos do Siegel do mercado americano, as empresas que pagam mais dividendos são as que oferecem melhor retorno no longo prazo e menor beta, ou seja, menor risco.

Estudo realizado pelo autor separando em grupos de acordo com dividendos

É até complicado tentar resumir este livro, todo ele possui muitos dados estatísticos e conclusões sobre diversas formas de investir, então eu recomendo que todos leiam pelo menos 1x este livro, teriam muito mais informações interessantes pra compartilhar, mas aí o post ficaria muito longo.

Boa leitura.

sexta-feira, 27 de março de 2020

Livro: essencialismo - A disciplinada busca por menos

Capa
Hoje terminei de ler um dos livros que havia começado ano passado, aproveitando os dias de confinamento (COVID-19) pra concluir tarefas. Gostei do livro, o autor traz diversos insights e exemplos de como priorizar o que realmente é importante, manter o foco e como ser essencialista.

É uma leitura rápida, apesar que eu demorei pra terminar, mas é interessante ler aos poucos e tentar implementar algumas ideias no seu dia a dia. Eu me identifiquei como um não essencialista em diversas partes do livro, em poucas me identifiquei como essencialista, refletir sobre isso já me ajudou a tomar algumas decisões neste ano, já cancelei algumas atividades que estavam tomando muito do meu tempo e que não contribuíam ou contribuíam pouco para minhas metas.

Como exemplo, eu participava de um grupo de danças que tinha ensaio todo Domingo, e apresentações quase todos finais de semana, apesar de ser uma atividade muito prazerosa, essa atividade também trazia uma carga de stress, pois isso é um compromisso entre diversas pessoas e faltar, prejudica todo o grupo. Do lado positivo, passava muito tempo com amigos queridos e de certa forma exercitava o corpo com a dança, bom pra saúde. Ao mesmo tempo, eu disse SIM para um convite de ser diácono na comunidade em que participo, o que me trouxe um problema, em algumas ocasiões eu teria que faltar ensaios ou faltar cultos, pois horários coincidiriam.

Se eu tivesse refletido antes, ou tivesse lido este livro antes, eu deveria ter dito NÃO para o convite de ser diácono, mas sendo um não essencialista, achei que conseguiria conciliar as 2 coisas. Eu pensei que conseguiria dar conta de tudo, afinal, eu sempre fiz muitas coisas ao mesmo tempo em minha vida, ensino médio concomitante com técnico, trabalho de dia e serviços freelance a noite (faço até hoje), etc, e acabei dizendo que iria pensar, sendo que quando vi, já estava envolvido e participando, então aqui ficou uma lição, precisava/preciso aprender a dizer NÃO.

O final dessa história foi que, para conseguir fazer algo bem feito, decidi dizer NÃO ao grupo de dança, que apesar de colaborar com minhas metas na área da saúde, prejudicavam as metas na área da FÉ e FINANCEIRA, sair todos finais de semana também tem um custo muito alto. No fim podemos até dizer que Deus escreve certo por linhas tortas, sendo que esse SIM me obrigou a dizer um NÃO para algo que estava contribuindo pouco nos meus objetivos de vida.

Não foi uma decisão fácil, decisão essa que poderia ter sido evitada se eu já fosse um essencialista por natureza. Tomar uma decisão importante hoje te livra de centenas de decisões no futuro, ao dizer Sim para uma coisa, automaticamente você está dizendo Não para centenas de outras coisas que poderia estar fazendo com aquele tempo, saber escolher o que realmente importa é necessário. É semelhante ao conceito de Custo de Oportunidade, ao comprar um carro melhor, estamos deixando de receber juros sobre esse dinheiro que gastamos, ao escolhermos aplicar o dinheiro em um tipo de investimento, automaticamente estamos dizendo Não a todos os outros, e por aí vai.

Lembrar que um SIM é igual a muitos NÃO pode facilitar na hora de dizer um Não.

Vou citar aqui alguns trechos do livro que achei muito interessantes.

Sobre Escolher:
Tornar-se essencialista exige a conscientização da capacidade de escolher. Quando esquecemos que temos livre-arbítrio, aprendemos a impotência. Pouco a pouco permitimos que nosso poder no seja tirado até nos tornarmos um elemento da escolha dos outros - ou até das nossas escolhas passadas.[...] quando abrimos mão do nosso livre-arbítrio, damos aos outros o poder e também a permissão explícita de escolher por nós.
Basicamente, este é o meu caso, eu deixei os outros escolherem o que eu deveria fazer com o meu tempo, talvez por eu não saber o que é essencial para mim, eu aceitei quase tudo que me sugeriram, desde aceitar participar em diretorias de bairro, de escola, de igreja, etc sendo que a maioria não eram essenciais para mim e acabaram tomando muito do meu tempo. Lógico que todas as atividades nos trazem grandes aprendizados, além de que aprender com os erros é uma forma de crescer.


Se você não sabe o que quer, então qualquer coisa serve. Saber o que é essencial e ter objetivos na vida é o básico pra poder começar escolher e não deixar que os outros escolham por você, sem isso você acaba trabalhando para resolver os problemas dos outros.

Sobre Dormir:
O melhor patrimônio de que dispomos para dar nossa contribuição máxima ao mundo somos nós. Se não investimos em nós mesmos - em nossa mente, nosso corpo e nosso espírito - prejudicamos a nossa ferramenta mais eficiente e confiável. Uma das maneiras mais comuns de prejudicar esse patrimônio, principalmente no caso de pessoas ambiciosas e bem-sucedidas, é dormir pouco.
Eu fiz muito isso na época de estudante, estudava o dia inteiro, trabalhava a noite, e ainda tinha projetos pra concluir de madrugada e finais de semana, foi um tempo que dormi muito pouco, amadureci e aprendi muito, mas descuidei da saúde e em uma piscada sofri um acidente de carro que poderia ter sido fatal, aprendi a lição.

Descomprometer-se:
A influência dos custos perdidos é a tendência de continuar investindo tempo, dinheiro e energia numa proposta que sabemos ser malsucedida só porque já gastamos um valor impossível de ser ressarcido. Isso pode facilmente se transformar em um círculo vicioso: quanto mais investimentos, mais decidimos a ver se dá certo e se o investimento rende. Quanto mais investimos em algo, mais difícil é deixá-lo para lá. [...] isso explica o fato de continuarmos a assistir um filme horroroso só porque já pagamos pelo ingresso; por que continuamos a pôr dinheiro na reforma de uma casa que parece nunca terminar; ...
Eu adicionaria aqui que as vezes nos apegamos a alguns investimentos ruins, e ficamos com medo de assumir a perda, eu ainda estou desenvolvendo meu modelo de investimentos e fico na dúvida nessa questão, alguns autores defendem permanecer em uma empresa mesmo se ficar ruim, pra não perder a alta no caso dela ter um turnaround e voltar a ser boa, enquanto outros dizem que se a empresa ficar ruim o melhor é sair fora e comprar empresas boas que vão render muito mais enquanto a outra volta... aqui o autor do livro parece concordar com o segundo caso: ele sugere pensar o seguinte: se eu ainda não tivesse investido nessa empresa, hoje eu investiria? O essencialista fica satisfeito em reduzir perdas enquanto o não essencialista detesta admitir erros e pensa que uma hora vai dar certo. Eu realmente fico na dúvida com essas questões, pois há muita divergência de opinião nesse sentido.

Prevenir (margem de segurança):
Na realidade, vivemos num mundo imprevisível. Mesmo longe de acontecimentos extremos como a fome, enfrentamos constantemente o inesperado. Não sabemos se o trânsito estará bom ou se haverá engarrafamento. Não sabemos se o voo vai atrasar ou será cancelado. Não sabemos se amanhã escorregaremos na calçada e quebraremos o braço. Do mesmo modo, no trabalho, não sabemos se um fornecedor vai se atrasar, se um colega nos deixará na mão [...] a única coisa que podemos esperar é o inesperado. Portanto, podemos aguardar a dificuldade acontecer para só então reagir ou então nos preparar e nos prevenir, criando uma margem de segurança.
O essencialista prevê, planeja, prepara-se para várias contingências. Espera o inesperado, cria uma margem de segurança para lidar com imprevistos e tem espaço para manobra quando acontecem, como é inevitável. [...] Quando ganha um dinheirinho extra, o não essencialista tende a gastá-lo em vez de guardar para tempos difíceis.
Aqui acho que todos nós que investimos já temos familiaridade com o conceito, margem de segurança e reserva de emergência fazem parte do nosso cotidiano, mas sempre podemos usar isso em outras áreas da vida, como manter distância do carro da frente, acrescentar um tempo a mais no prazo previsto para entrega de algum trabalho, sair com antecedência para não se atrasar devido a um imprevisto (pneu, engarrafamento etc) etc.

O livro ainda cita diversos outros livros e exemplos, muitos que eu já tive o prazer de ler, e a  conclusão é que "menos é mais", frase já muito conhecida por todos, mas muito difícil de implementar. O texto ficou mais longo do que eu esperava, então abaixo uma imagem que resume o livro, que encontrei na internet.. ainda assim, sugiro que todos leiam.



Abraços e até o futuro!

quarta-feira, 18 de março de 2020

O que dizem os Youtubers sobre a Crise?

Olá pessoal!

Tem alguns canais sobre finanças e investimentos que eu acompanho no youtube, e sempre trazem algum conhecimento ou alguma informação relevante que pode te ajudar a investir melhor. Bom, eu selecionei alguns videos recentes e outros mais antigos que eu acredito que vão te ajudar a manter a calma neste momento e investir melhor.

Para começar a recuperar a sanidade mental e manter a calma, videos do Fabio Faria (Canal do Holder) e do canal FIIque Tranquilo.


Canal do Holder é um dos meus favoritos, sempre aprendo algo.


Depois dessa live 22 do FIIqueTranquilo, saiu a Live23 mais completa sobre o assunto, mas essa tem 2 horas e eu ainda não assisti, mas o link é esse: https://www.youtube.com/watch?v=KWPiT19s5Bs

Em seguida, selecionei um video da Nath, canal Me Poupe! A partir dos 32 minutos tem um pouco de análise gráfica pra saber o momento da reversão de tendência que, eu acho bem difícil de ver enquanto está se formando, depois que o padrão ocorreu e o mercado subiu é fácil de dizer.
Hoje ela fez outro video sobre o Corona bem interessante também, acho que esse de hoje ficou até mais interessante, se tiver tempo assiste também.

Estratégia do Daniel Nigri!


Pra terminar, tem esse video do Bastter, sobre quedas, cotação, análises etc, o video é de 2011, mas o conhecimento segue atual.


Se você assistiu todos esses videos, parabéns, com certeza algo de bom você aprendeu!

Segue uma lista de alguns que eu acompanho eventualmente:
Teriam outros videos/canais que poderia colocar aqui, mas resolvi colocar os que eu mais assisti nos últimos meses. Existem pessoas interessantes que compartilham suas opiniões sobre mercado, economia, investimentos, finanças, etc, só pesquisar e aproveitar que são de graça!

Até o futuro!

segunda-feira, 16 de março de 2020

Operações em Meio a Crise

Posição no CEI (16/03/2020)
Olá pessoal, todos vivos e bem?

Com a crise do corona vírus no mundo, bolsas caindo, até o momento que escrevo, 5 Circuit Breakers aqui na B3, hoje teve outro, o mais rápido até o momento... e meus títulos do TD caindo junto, no final acabei fazendo menos compras do que eu gostaria, mas segue o que fiz até o momento.

Depois de mais algumas quedas, finalmente desbalanceou minha carteira pro lado da renda fixa, então hoje solicitei o resgate de um valor alocado em tesouro SELIC, e fiz algumas comprinhas de FIIs, seguindo o que estava marcando compra na minha planilha de balanceamento.

Segue algumas imagens dos negócios:

Solicitei o resgate, espero que amanhã esteja na conta.
Se tudo acontecer como eu imagino, nunca solicitei resgate antes, a XP deve resgatar os títulos que tenho a mais tempo, para pagar menos imposto de renda, então deve resgatar as compras de 10/04/2019 e 22/04/2019, fechando a quantidade 0,13 solicitada.


 Já fiz algumas compras aproveitando as quedas, praticamente tudo nas mínimas hoje:

Comprinhas muito abaixo do meu preço médio anterior (primeiras compras em Dezembro)
Com todos os acontecimentos recentes, eu acabei esquecendo de postar aqui no blog, mas quando deu as primeiras quedas, eu comprei 1 ação da Fleury, com um saldo que tinha dos dividendos de Itaúsa, não imaginava que cairia tanto, mas me serviu de aviso pra não queimar a largada futuramente, e ficar sem dinheiro pra mais aportes, desenvolver a paciência é preciso.

Compra de 1 FLRY3 no dia 09/03/2020.
Ao final de todas essas operações, tirei cerca de R$ 1.370 da renda fixa.. tem que ver bem certo quanto vai entrar na conta amanhã... e comprei pra R$ 497,95, provavelmente minha parte de renda variável passe a renda fixa até o final do mês, tudo depende como o mercado irá seguir! Se cair mais até lá, pego o restante do saldo da conta, junto com o aporte do mês e faço mais umas compras, é bem provável que o mercado ainda fique bastante volátil por mais uns 2 meses, então oportunidades não faltarão.

Até o futuro e bons negócios!

UPDATE 2020-03-18

Olhei os aportes que ficaram no Tesouro SELIC após o resgate, confere:


Ou seja, foi exatamente como eu imaginei, o sistema da corretora pegou os títulos mais antigos e resgatou, com objetivo de pagar menos imposto. Analisando mais a fundo, o ideal seria que tivesse resgatado os mais recentes, dentre os que pagam a menor alíquota de IR, ou seja, eu tinha 5 aportes em datas diferentes que estavam na alíquota de 20% sobre os ganhos, o sistema pegou os 2 mais antigos, mas se tivesse pego os mais recentes dentro dessa alíquota seria melhor, pois os mais antigos logo vão passar pra alíquota dos 17,5%, mas enfim, nem tudo é perfeito.

Sobre as alíquotas do Tesouro Direto:
  • 22,5% sobre o lucro em aplicações de até 180 dias 
  • 20% em 15 aplicações de 181 a 360 dias 
  • 17,5% em aplicações de 361 a 720 dias 
  • 15% em aplicações acima de 720 dias 
Sobre as compras dos FIIs, que bom que não aportei todo o valor resgatado, hoje tivemos mais um Circuit Breaker e parece que esse foi o dia das quedas nos FIIs, sério, acho que os que comprei são alguns que mais estão caindo hoje.
FIIS caindo forte em 2020-03-18 16:10
Hoje eu estou achando novamente que é o fundo, da mesma forma que achei anteontem, então, vou deixar pra fazer compras só mês que vem junto com novo aporte, porque o fundo está difícil de acertar.

Fim do update!

quinta-feira, 12 de março de 2020

Aprendizados no Mercado com a Crise do Coronavírus

Olá pessoal! Os últimos estão sendo de muitos aprendizados.

Tivemos hoje (12/03/2020) 2 circuit breakers aqui na B3, que é quando a bolsa cai 10% e para as negociações para o pessoal se acalmar, frear o pânico do Sr Mercado, literalmente.

Junto disso, tem alguns fatos curiosos acontecendo, minha estratégia se baseia em percentuais de investimento em diferentes classes de ativos, sendo que a primeira divisão é entre renda fixa versus renda variável, 50% em cada. Era de se esperar, que após dias de fortes quedas das ações e FIIs, o percentual em renda fixa estivesse muito maior que em renda variável, e nesse momento eu faria o balanceamento da carteira, tirando um pouco de dinheiro da renda fixa e investindo em renda variável, mas eis que me deparo com esse gráfico no CEI.


Os percentuais estão praticamente iguais ao mês passado, e olha que as ações caíram muito neste último mês, algumas chegaram a cair mais de 30%, como explicar? Fui verificar minhas posições de renda fixa, e eis que o governo aumentou as taxas pagas em todos títulos do Tesouro Direto.

Taxas do Tesouro IPCA+ 2035
Isso faz com que o preço de compra/venda dos títulos públicos caia, conforme já visto no post sobre Marcação a Mercado.

https://www.tesourodireto.com.br/titulos/historico-de-precos-e-taxas.htm

Logo, tanto meus ativos de renda fixa quanto os de renda variável estão em queda nos últimos dias, com isso, minha estratégia foi por água abaixo. Pelo visto pra minha estratégia funcionar, vou ter que deixar uns 80% da parte da renda fixa em CDI ou Tesouro SELIC, e não títulos com marcação a mercado... o que vocês acham? Ou passo a considerar títulos Renda variável, o que eles realmente são no curto prazo, fixo apenas se ficar até o vencimento.

Por quê o governo aumentou as taxas dos títulos em um momento como esse?

A única resposta que consegui pensar foi para que o pessoal não tire o dinheiro dos títulos para comprar ações, pois perderiam boa parte da rentabilidade com a queda dos preços, ou para evitar de tirarem dinheiro do Brasil mesmo, já que muitos estrangeiros compram títulos públicos no Brasil e em épocas de crises preferem tirar pra deixar em países mais seguros, como EUA.

Até então eu acreditava que as taxas dos títulos mais ou menos seguiam a taxa SELIC, sendo que a SELIC é usada principalmente para acelerar ou frear a economia, além de controle da inflação. Como muitos sabem, o Federal Reserve fez uma reunião emergencial semana passada e cortou a taxa de juros por causa do Coronavírus, coisa que não acontecia desde 2008, ou seja, por lá eles estão incentivando a economia ao abaixar os juros, eu imaginei que o governo aqui também faria algo parecido, mas as taxas aqui subiram... não a SELIC, mas enfim, as taxas dos títulos da dívida pública... essa parte eu preciso estudar mais pra entender, ou se alguém puder me explicar melhor eu agradeço.


UPDATE - 01/04/2020 - ENCONTREI UMA RESPOSTA DO JK, Érica com a mesma dúvida.

O vídeo todo é bem interessante, se quiserem assistir desde o começo, recomendo.


De qualquer forma, acho que preciso melhorar a seleção dos ativos da renda fixa. No curto prazo, penso em tirar dinheiro do tesouro SELIC, que é onde tenho maior percentual alocado, e comprar alguns títulos IPCA que acabaram barateando e ficando com taxas mais atrativas, também, pra não perder as belas oportunidades, acho que os próximos meses aportarei um pouco mais em Ações e FIIs.

Pro médio prazo, quando as coisas voltarem a normalidade, acho que preciso rever a parte da renda fixa, que não pode cair junto com a variável. Eu já tinha percebido estes dias que os títulos públicos (exceto SELIC) se moviam de forma parecida com os FIIs, por causa da relação do preço com a taxa de juros, agora comprovei. Uma possível solução seria usar apenas tesouro SELIC pra contrabalancear a carteira, mas fico meio receoso de manter 50% pós fixado na SELIC.

Um gráfico do IBOV nos últimos 90 dias, praticamente igual do preço dos títulos públicos, só que o IBOV caiu uns 40% e títulos uns 10%, mas o gráfico é parecido.


Outros pontos interessantes:
  1. Bitcoin, que é defendido por muitos como uma reserva de valor, semelhante ao ouro em crises, hoje caiu 23%, ou seja, só serve pra reserva de pessoas em países que a economia estiver muito ruim, mas quando o mundo todo está ruim, Bitcoin cai junto.
  2. Ouro ainda está com uma tendência de alta, mas hoje caiu também, acho que o pessoal está querendo liquidez mesmo, ou talvez estejam embolsado lucros e comprando ações? Talvez o Ouro me sirva melhor pra contrabalancear minha carteira de renda variável...
  3. Dólar é outro que só subiu nos últimos dias, esse sim, como geralmente faz o inverso da bolsa, também pode ser uma forma de rebalancear a carteira. Apesar que no ano passado dólar e a bolsa subiram juntos, foi um fato bem curioso no meu ver.
No momento algumas dúvidas novas, mas muita experiência sendo adquirida. E vocês, aprenderam muito nestes últimos dias?

sábado, 7 de março de 2020

Acompanhamento das Metas

Olá!

Já estamos no terceiro mês do ano, acho que podemos começar avaliar como andam as metas e planos para 2020.

Finanças

Em relação as metas dos aportes, tudo tranquilo.


Saúde

Já em relação as metas de atividades físicas, em janeiro até que fui bem, mas fevereiro deixou a desejar bastante, voltei a jogar bola e acabei me machucando o tornozelo, fiquei 2 semanas me cuidando, agora ele ainda fica inchando, acho que vou ter que consultar um médico sobre isso.

Registrei algumas das atividades que fiz ao ar livre no aplicativo Strava, clique pra ampliar:





Em relação a leitura bíblica, mesma coisa, parece que fevereiro dei uma esfriada e acabei ficando alguns dias sem ler a Bíblia, comecei um plano de leitura pra ler ela em 3 anos, vou ter que tirar os atrasados uma hora dessas. Por outro lado acho que não faltei nenhum culto este ano e estou em dia com as ofertas.

Conhecimento

Tinha a meta de ler 2 livros por mês, até o momento li um (Introdução aos FII), estou terminando de ler Investindo em Ações no Longo Prazo, e li alguns ebooks menores que não sei se considero ou não. Também comecei a ler outros 2 livros, um relacionado a igreja e outro chamado Essencialismo.

Na questão dos estudos de empresas, em janeiro eu consegui fazer diversos, estou bem adiantado, também estou acompanhando os resultados das empresas em carteira e FIIs, estou usando o Duolingo pra dar uma estudada no inglês (15 minutos por dia) e tocando violão de sábado de manhã.

Lazer

Nesse quesito vou fazer este mês uma viagem nas férias, estou torcendo pra não pegar o coronavírus. Planejei essa viagem em janeiro e já paguei a metade.

“Aquilo que não se pode medir, não se pode melhorar”
Até o futuro!