terça-feira, 21 de setembro de 2021

Setembro a Mil, acompanhando o Primo Rico etc

Olá amigos investidores!

80k no 1º dia
Resolvi fazer um post antes do fim do mês para compartilhar algumas ideias com vocês, e também contar um pouco sobre as lives do primo Rico, estou participando delas as 5 da manhã, até agora o que eu mais ganhei foi sono 😅, mas teve algumas ideias interessantes e várias histórias da mitologia nórdica que eu achei bem legais, acredito que para a maioria das pessoas as lives são ótimas, pra nós que já temos uma boa caminhada no mundo dos investimentos tem algumas coisas que são básicas e não é tão proveitoso, mas ainda sim bom relembrar.

Hoje de manhã a live foi sobre economia, bem introdutória, mas a forma que ele explica é muito boa. Ele também disponibiliza os mapas mentais, uma espécie de resumo que você pode acessar em https://sp.oprimorico.com.br/download.html, além disso no sábado de manhã ele deu, em parceria com 2 empresas, 2 livros para todos os "primos" presentes na live, quase eu não consegui obter os meus porque o site do app simplesmente saiu do ar com a quantidade de acessos hehe.

Uma das coisas que mais achei úteis até agora foi a metodologia de investimentos dele, ele basicamente divide a carteira em 4 classes de ativos, que ele chama de ARCA, 25% em cada classe, comparando com a arca de Noé :) 

Ações e Negócios
Real Estate (imóveis, fundos imobiliários)
Caixa (dinheiro para aproveitar oportunidades)
Ativos Internacionais

Aí dentro disso ele passou um outro conceito que ele chamou de DRACAR, novamente com referência aos Vikings, peguei o print do mapa mental para agilizar:


Essa live eu achei bastante útil para quem está começando montar sua carteira e também para nós darmos uma reavaliadas nas nossas estratégias. Eu só mudaria ali na letra C de Convexidade, eu daria atenção para a questão da Correlação entre os ativos, que deve ser baixa ou inversa. A convexidade, que o primo apresenta como poder de multiplicação maior do que possibilidade de perda, eu acho que se encaixa no último R, do Risco x Retorno.

Operações no Brasil

Além disso este mês tem algumas empresas caindo na nossa bolsa brasileira, Sanepar não para de cair 😑 e provavelmente vou poder fazer aquela troca ITSA4/ITSA3 que eu já fiz 2x, consiste em manter em carteira a ação mais barata, ganhando uns trocados com a operação de troca, se ITSA3 cair um pouco mais vou fazer já o negócio, tomara que caia mais hoje aí também vou fazer um aporte extra na renda variável, e lá se vai o caixa...

LINK GRÁFICO

Investimentos Internacionais

Outra novidade de setembro é que recebi meus primeiros rendimentos em dólar, foram US$ 6,52 de SCHP e US$ 0,71 de VGLT, e também ontem a noite habilitei a conta bancária da Avenue nos Estados Unidos, então agora tenho um cartão de débito internacional que permite gastar esses trocados sem precisar trazer o dinheiro de volta para o Brasil, que dava uma perda em torno de 2,5% em taxas, só minha dúvida é qual a cotação do dólar que Mastercard utiliza na hora de converter os reais para dólar, acho que ali a gente vai perder igual, então temos que descobrir isso pra saber o que é vantagem afinal, mas a ideia deles foi muito boa pra fidelizar os clientes. Por enquanto mesmo a ideia é nem gastar, reinvestir né galera! Mas um dia...


Mais 10 dias e temos o fechamento do mês, até lá! Abs

terça-feira, 31 de agosto de 2021

Fechamento de Agosto

Olá a todos!

Neste mês os aportes normais foram 1000 para renda fixa na nuconta, 500 para FIIs e 500 para ações, também apliquei uns trocados que estavam parado na conta do banco na poupança, e um aporte extraordinário para o exterior, conforme já comentado aqui e aqui.

Bom, fora do comum eu tive uma venda neste mês, fechei minha posição de lojas Renner no dia do ataque de ransomware, foi algo que me lembrei do XPCM11, quando eu soube da notícia da saída da Petrobras e não vendi, pelo contrário, comprei mais e certo tempo depois acabei vendendo tudo no prejuízo mesmo, então eu fiquei um pouco ressabiado com essas notícias com potencial catastrófico, imagina se os analista de TI das lojas Renner não conseguissem restaurar os backups, a perda de dados traria problemas que nem posso imaginar, e com a LGPD em vigor, o fato de um cracker ter conseguido acesso levanta a possibilidade de vazamento de dados, o que pode gerar multas etc. Bom, parabéns aos profissionais de TI que conseguiram restaurar os sistemas muito rápido e vamos torcer para que isso não aconteça mais! 👏👏


Após a restauração dos sistemas até pensei em comprar de volta as ações, ainda poderia ter comprado com preço mais baixo do que vendi, mas acabei pensando melhor e resolvi que reduzir a quantidade de ativos na carteira pode ser benéfico pra mim, dar uma simplificada. Pra não deixar o dinheiro da venda parado, acabei comprando ações da Equatorial, seguindo minha planilha de balanceamento era uma das que precisava de aportes. Antes disso, com o aporte normal, já tinha comprado M Dias Branco e KNRI, e também os ETFs no exterior, VOO, VGLT e SCHP.

Vamos ver as rentabilidades agora: 

Considerei aqui o valor dos ativos vezes o dólar hoje, R$ 5,15

Estou pensando como vou converter o saldo para reais, se uso a cotação do dólar do mercado, ou se simulo a conversão de volta para reais pelo app da Avenue, por enquanto usei a cotação do dólar de hoje que é menos ruim, já que no app desvalorizam bastante. A rentabilidade individual de cada ativo até o momento foi: VOO +1,55%, VGLT +1,84% e SCHP +0,59%, mas considerando os custos na transferência e o dólar que caiu um pouco, ainda sigo negativo no exterior.

Nas ações ficamos bem neste mês


FIIs seguem caindo mês, deram uma subida mês passado, mas agora voltaram cair.

Renda Fixa Nuconta, esse dinheiro está misturado com saldo, então ficou difícil saber o rendimento, aquela opção de guardar dinheiro sumiu do meu app... uma hora dessas deve voltar a opção daí vou separar esses pilas do resto.

CDB no Pag Bank
 
Interessante ver o crescimento no rendimento percentual do CDI nos últimos meses.

No consolidado ficamos 0,31% negativo, os percentuais do ano e Histórico reduziram por causa dos aportes, isso é um pouco estranho, mas é correto se for considerar o ganho em relação ao total aportado.

Uma coisa legal que descobri esse mês no site meusdividendos é que posso adicionar os ETFs e também as renda fixas lá, com isso ficou bem completo agora, confiram estes gráficos de lá:

Em teoria preciso aumentar a renda fixa, mas... com essas quedas nos FIIs... eu fico louco de vontade de comprar mais

Clicando ele mostra os ativos individuais.


Bastante coisa para uma carteira pequena né?! Mas diversificar é preciso. 

O que eu mais gosto de olhar nesse site é justamente a tabela de dividendos, isso cresce mês a mês com os aportes e reinvestimentos, no primeiro mês foi R$ 3,20 😃

Meus Dividendos

Buenas pessoal, por hora é isso, até o futuro!!


terça-feira, 24 de agosto de 2021

Resultados Trimestrais (lucro)

Olá, hoje vim compartilhar a planilha dos lucros trimestrais das empresas investidas e meus comentários particulares, lembrando sempre que isso não é recomendação.

Clique para ampliar

O segundo trimestre foi melhor para a maioria das empresas, todas tiveram lucro:

  1.  M. Dias Branco teve um lucro parecido com o segundo trimestre de 2020. 
  2. Itaúsa teve um super lucro, no segundo trimestre do ano passado tinha ganho pouco, mas nesse foi quase recorde. 
  3. Ambev também teve um ótimo trimestre, ano passado tinha sido fraco pela pandemia.
  4. B3 também teve um bom trimestre, essa empresa está com a cotação caindo a alguns dias, a relação P/L melhorando cada vez mais.
  5. Grendene teve prejuízo no segundo trimestre do ano passado, e nesse ano o segundo trimestre veio fraco, estou pensando em vender ela, é uma das menores posições na carteira, já tinha parado de aportar nela a algum tempo por causa dos fracos resultados, e por incrível que pareça, ainda está dando lucro essa posição, enquanto várias outras que tiveram resultados melhores estou no prejuízo, bolsa é um negócio complexo mesmo.
  6. Engie teve resultado menor no comparativo trimestral, mas tudo bem.
  7. Equatorial teve resultado melhor no comparativo, muito bom.
  8. EDP Brasil melhorou seus resultados no comparativo trimestral, está com P/L bem baixo com a cotação lateral entre 17 e 20 reais.
  9. Weg batendo todos os recordes, agora até a relação P/L deu uma reduzida, saiu dos 87 para 57 depois desse baita lucro.
  10. Hypera batendo recorde também, ótimos resultados.
  11. Fleury não teve um lucro tão grande, mas no segundo trimestre do ano passado teve prejuízo, então melhorou bastante nesse comparativo.
  12. Porto Seguro teve um pequeno aumento no lucro no comparativo, mas é recorde :)
  13. Lojas Renner teve lucro, mas o comparativo ficou comprometido por causa de não recorrentes que tiveram ano passado e gerou um lucro absurdo, no geral reverteu um pouco do prejuízo do primeiro trimestre. Essa semana ela sofreu um ataque de ransomware e os sistemas ficaram fora por 2 dias, depois voltaram instáveis mas a cotação segue caindo. Quando eu soube da notícia em alguns grupos de TI que participo, estavam dizendo que tinham encriptado até os backups e nesse caso o prejuízo seria incalculável, por isso eu me desfiz dessa posição no mesmo dia, agora estou pensando se recompro ou não, já caiu mais uns 4% depois que vendi. Eu ainda sai com um pequeno lucro, isento de IR abaixo dos 20k mensal.
  14. Grazziotin teve um ótimo resultado, sempre foi uma ação com P/L baixo e agora teve uma boa subida no preço, mas o P/L ainda está em 6, gosto muito dessa empresa.
  15. Sanepar teve um bom resultado aumentou o lucro no comparativo, mas empresa está sofrendo com a tal da estiagem, com risco de faltar água a cotação está bem baixa, índice P/L perto de 6.
  16. Copasa igual a Sanepar, lucro subindo e preço caindo, P/L de 5,5 hoje. Esse setor está muito barato, acho que devido as interferências políticas sempre vai ser barato, igual os bancos públicos.

Este é o resumo das empresas que tinha em carteira, como comentado vendi uma delas e estou pensando em vender mais uma, para comprar outras que estou achando mais atrativas.

Abraços e até o futuro!

segunda-feira, 23 de agosto de 2021

Primeiras compras no exterior

Olá, continuando o post do primeiro aporte no exterior, vou compartilhar agora as primeiras compras.

Cotação do ETF VOO

Eu decidi investir através de ETFs no exterior, que são Fundos de Índices, ou seja, normalmente eles seguem algum índice como S&P, IBOV etc, ficando próximo a média do mercado. No exterior os ETFs pagam dividendos, diferente do que aqui no Brasil, onde o dividendo é somado no valor do ETF, esses dividendos do exterior são tributados em 30% na fonte, ainda não tenho certeza da forma de declarar isso para o Imposto de Renda, mas como a Avenue ajuda nessa parte, vou deixar para ver isso mais adiante 😲

Sobre as escolhas de ETFs no exterior, o que eu levei em conta neste primeiro momento foi:

  • ETFs de baixo custo, quanto menor as taxas melhor;
  • ETFs descorrelacionados, quando um sobe o outro cai, para redução de volatilidade da carteira (VOO e VGLT);
  • O momento atual da economia norte americana, com aumento da inflação/juros, todos acham que uma queda deve acontecer, mas ninguém sabe.

Por isso, acabei comprando muita renda fixa atrelada a inflação, e quando as quedas vierem, eu pretendo realocar isso para a renda variável pouco a pouco, tirando de SCHP e passando para VOO. A cotação do VOO me parece um pouco espichada com preço bem acima das médias já a alguns meses, o normal seria o preço voltar a média de tempos em tempos. 

As compras foram:

  • 1 cota de VOO por $408,72
  • 16 cotas de SCHP por $63,09 totalizando U$$ 1.009,44
  • 5 cotas de VGLT por U$$ 88,75 cada, totalizando U$$ 443,75.

 
Bom, agora a ideia é aguardar o tal retorno as médias do VOO, ou uma crise, para fazer o balanceamento e deixar 50% em "renda fixa" divididos entre VGLT e SCHP, e 50% em VOO. Lembrando que essas renda fixa de longo prazo variam bastante também, podendo ficar negativos em alguns períodos, então tudo aí é variável.

Eu comprei as cotas inteiras, a Avenue tem o sistema de poder comprar frações, mas outras corretoras não tem, e caso futuramente eu resolva transferir a custódia para outra, pensei de manter as cotas inteiras... assim sobrou um saldo de 5 dólares na conta do exterior.

Até o futuro!

quinta-feira, 12 de agosto de 2021

Primeiro Aporte no Exterior

Olá a todos, finalmente mandei uma grana pro exterior!

Continuando a série de posts sobre investir no exterior, depois de 5 semanas sem receber a carta com a senha/PIN da TDA, ontem tentei ligar e só dava mensagem que todas as linhas estavam ocupadas, então decidi começar os investimentos com a Avenue, que tem o suporte em português e foi muito fácil abrir a conta, conforme este post. Eu ainda tenho o Plano de Corretagem Zero até Out 2021, vou aproveitar isso para alguns aportes iniciais, e mais pra frente analiso se ainda vale a pena.

Para enviar o dinheiro eu fiz um PIX e em poucos minutos o dinheiro apareceu na conta, então fui no menu câmbio e já converti o dinheiro para dólares, eu selecionei a opção de D+1 que tinha uma taxa menor, ainda assim, o preço do dólar no aplicativo para enviar o dinheiro ficou R$ 5,35 por dólar, fazendo a divisão do que enviei pelo que recebi. Eu transferi R$ 10 mil reais, e isso virou U$ 1.867,46 dólares. 

Dólar ontem a 5,22, mas na corretora é R$ 5,35

Agora eu fiz uma simulação de trazer o dinheiro de volta para o Brasil, só pra ver a diferença, ou quanto se perde em taxas, e a diferença é bem razoável, receberia R$ 9.510,92 de volta, uma perda de 4,9% entre custos de envio e resgate, é bom ter isso em mente antes de começar investir no exterior, acredito que na média, isso representa uns 9 meses de rentabilidade em renda variável, ou uns 2 anos de renda fixa americana, e lembrando que se trazer de volta nosso governo ainda vai querer uma fatia dos lucros.

E na hora de trazer de volta o dólar foi pra R$ 5,11

Esse é o custo de tirar o dinheiro do Brasil e trazer de volta pela Avenue hoje. Talvez o melhor seja nunca trazer de volta mesmo, arrumar uma conta no exterior com cartão internacional pode ser uma alternativa, mas tenho que aprender fazer isso ainda. Ou ainda investir direto no IVVB11 ou BDRs.

Bom, agora que transferi o dinheiro para lá, a vontade de comprar ações da Coca-cola, Google, Microsoft, Visa, Johnson&Johnson e tantas outras empresas famosas é enorme, mas a minha ideia é ir de ETF mesmo, é a forma mais chata de se investir, mas pelos estudos, ainda é a melhor forma para o pequeno investidor, e nessa hora é melhor ser racional.

Apesar de parecer simples investir em ETFs, no mercado americano tem tantas opções que o negócio começou a ficar complexo. Alguns estudos que fiz, com otimizações de portfólios, o que gerou mais resultado com uma volatilidade menor foi misturar títulos de renda fixa de longo prazo com as ações, como apresentei nesse post, mas olhando alguns fatores que levaram a esse bom resultado nos últimos anos, foi a queda da taxa de juros de longo prazo, com a marcação a mercado os títulos renderam muito bem, mas neste exato momento isso está se invertendo nos Estados Unidos, eles começaram um movimento de alta nas taxas, então pode ser que essa estratégia não continue funcionando tão bem nos próximos anos.

Dado este cenário, vou ter um começo bem tímido e cauteloso, pensei em adicionar nessa estratégia os títulos de curto prazo, chamados de "livre de risco", para o caso de esse aumento nas taxas impactarem muito negativamente as ações e títulos longos, quando rebalancear a carteira espero ter um resultado melhor. 

A título de curiosidade, é interessante saber que a renda fixa americana tem alguns nomes para cada prazo:

  • Bills tem prazo de um ano ou menos;
  • Notes tem prazo de 2 a 10 anos;
  • Bonds tem prazo de vencimento de 10 a 30 anos.

Eu andei olhando algumas opções de curto, médio e longo prazo, e trouxe um gráfico comparativo de alguns, SHY curto prazo, TLT longo prazo, SCHP que é de títulos com proteção a inflação, como o ETF TIP, mas com taxas menores.

Fonte: https://www.etf.com/SHY

Os de longo prazo como já comentei tem essa volatilidade bem alta, e por ter correlação inversa com as ações funciona bem para reduzir a volatilidade, mas pensando no cenário de alta dos juros/inflação, estou adicionando nos estudos o SCHP. Também no lugar de TLT tem o VGLT com taxas menores.

Bom pessoal, pra não deixar o post muito longo, vou encerrar por aqui. Assim que tiver feito as compras eu posto aqui pra mostrar a carteira do exterior, agora vou estudar mais um pouco.

Até o futuro!

domingo, 1 de agosto de 2021

Fechamento de Julho -0,02%

Olá!

Aproveitando o restinho o domingo para atualizar as planilhas, em Julho tive resultado positivo nos FIIs e negativo nas ações, no final fiquei no zero a zero. O aporte foi 500 reais em ações, 500 em FIIs e 1000 para renda fixa, total 2k.

Fiz duas compras com os aportes, compra de 7 BRCR11 e 11 PSSA3.

Por enquanto estou bem abaixo da minha meta, era pra ter quase 35 mil já... mas não me preocupo com isso, estou com um dinheiro pronto para enviar para o exterior, a hora que fizer isso vou chegar na meta, consegui uma boa grana extra esses últimos dias e isso vai fazer facilitar até para aumentar os aportes até o final do ano.


Ainda não recebi a carta da TDA 😟 já deu um mês e nada da carta com o PIN, talvez seja porque eu moro muito no interior do estado que demora tanto, para maioria das pessoas que vi postagens na internet chegou em 2 semanas, vou esperar mais uma semana então vou contatar por email para ver se teve algum problema, não quero ligar lá.

Até o futuro!

segunda-feira, 19 de julho de 2021

Estudo de Portfólios - David Swensen

Olá!

Lendo esse post do Investidor Internacional resolvi testar o portfólio que ele compartilhou baseado no livro de David Swensen, Unconventional Success: A Fundamental Approach to Personal Investment:

  • 30% – Ações americanas
  • 20% – REITs
  • 15% – Ações de países desenvolvidos
  • 5% – Ações de países emergentes
  • 15% – US Treasury Bonds
  • 15% – US Treasury Inflation-Protected Securities (TIPS)

Eu basicamente fui no site portfolioslab que tinha comentado no post anterior e selecionei ETFs que investem nesses ativos acima elencados:

  • 30% - VOO, ETF que replica S&P 500
  • 20% - VNQ, ETF de REITs
  • 15% - VEA, ETF de países desenvolvidos
  • 05% - VWO, ETF de países emergentes
  • 15% - BND, ETF de Bonds de todos tipos de vencimentos
  • 15% - TIP, ETF de TIPS

Eu achei bem interessante essa carteira, ela é muito parecida com a primeira carteira que eu tinha imaginado pra mim, antes de descobrir esse site de backtests e verificar que dá pra ganhar um pouco mais simplificando ela, apesar que corre um pouco mais de riscos também.

Confiram os resultados:

 
Como eu já tinha visto em estudos anteriores, essa carteira perdeu para o S&P500 nos últimos 10 anos, isso porque o benchmark está em uma sequência de alta muito forte nesse período, nada garante que isso vai continuar por muito mais tempo, mas pode ser que sim, não tem como saber.  
 
Abaixo os retornos individualizados de cada ETF, retorno do VOO de 14% ao ano é o melhor de todos.

O site também traz os Dividendos, que foram entre 2 e 3% ao ano nessa carteira, e os Drawdowns, que são as quedas, que ficaram muito parecidas com o benchmark S&P, sendo que na crise de 2020 a carteira chegou a cair 25%, enquanto o S&P foi 35%, imagina se alguém começou investir em fevereiro de 2020 e alocou todo capital nessa estratégia, saiu com menos 25%... mas recuperou rápido.

Enfim, talvez pegando um prazo maior, onde o S&P não tenha subido tanto, essa carteira teria ganho do benchmark, o que acontece nos estudos dos últimos 10 anos é que é muito difícil vencer o S&P com uma carteira diversificada, qualquer coisa que você adicionar pra diversificar vai puxar o resultado para baixo, mas existe uma forma, que é a otimização.

Eu cliquei na opção "Portfolio Optimization", para otimizar a estratégia para maximizar o retorno usando a fórmula "maximizing quadratic utility", eu não me aprofundei nessa fórmula, mas pelo que entendi ela tenta aumentar o ganho enquanto reduz o risco, e o resultado da otimização foi manter 45% de TIP, e 55% de VOO, que é próximo da composição mais utilizada, famoso 60/40.
 

Eu particularmente estou cogitando ir para essa estratégia de apenas 2 ativos, e usar a volatilidade do mercado para tentar ganhar dele, ou pelo menos ganhar de forma parecida correndo menos risco.

Gráfico do portfólio otimizado, dessa vez conseguimos vencer o benchmark. CORREÇÃO: NA VERDADE A LINHA LARANJA ERA A ESTRATÉGIA ANTERIOR, NÃO BATEU O S&P500.

Não se iluda com otimizações!

Uma coisa que se deve lembrar é de que quando se usa backtests e se otimiza uma determinada estratégia, você cria algo que chamamos de "vício estatístico", ou seja, você otimiza tanto que encontra o melhor resultado possível para uma estratégia em determinado período, e a não ser que o mercado repita exatamente os mesmos movimentos do período testado, o que é impossível, você nunca vai conseguir repetir essa rentabilidade, sempre será pior. 

Eu aprendi essa lição da pior forma possível, quando eu comecei investir a 12 anos atrás eu criei um software para realizar backtests e consegui descobrir ótimas estratégias com médias móveis, que davam resultados incríveis nos testes, mas quando botei dinheiro real eu descobri meu erro.

Então na prática devemos esperar resultados piores, mas mesmo assim achei interessante o resultado da otimização.

Uma ideia

Uma ideia que tive e penso em estudar mais seria utilizar uma média móvel de 100 dias no S&P500 para definir os percentuais de alocação e tentar otimizar os ganhos, misturando análise gráfica (timing) com o asset allocation... seria algo como:

  •  S&P abaixo da média móvel de 100 dias, 80%VOO/20%TIP 
  •  S&P acima da média móvel de 100 dias, 50%VOO/50%TIP 

Com isso, eu imagino que você protegeria mais o capital em momentos de euforia, o que estamos vendo a muitos anos seguidos no meu entendimento... e no momento de crises entraria com força no mercado, ganhando com a alta da recuperação e depois recolocando o dinheiro em segurança, quando o mercado voltar a média.

Não sei se isso seria prático de ficar monitorando pra fazer o rebalanceamento, teria que olhar uma vez por mês neste mundo moderno onde tudo é muito rápido, os movimentos/crises começam e acabam em poucos dias...Outra opção seria usar apenas títulos de longo prazo, com o ETF TLT no lugar de TIP, que dizem ter correlação negativa com o VOO.

TIP vs TLT, o TLT é bem mais volátil

Eu rapidamente fiz um teste usando TLT no lugar do TIP e o resultado foi melhor, embora o TLT fica com rentabilidade negativa em diversos períodos, essa baixa correlação turbinou a estratégia, em alguns momentos que as ações caiam os títulos subiam, e outros momentos aconteceu o contrário, e isso ajudou a reduzir a volatilidade da carteira e também aumentou os lucros com o balanceamento, mas em alguns momentos eu vi que tanto TLT quanto VOO caíram juntos, nesses dias não tem pra onde correr.

55% VOO e 45% TLT

Enfim, se quiserem brincar um pouco mais com esse estudo do David Swensen, basta acessar este link: https://portfolioslab.com/portfolio/ckrajpy0d00021fp4gdiu68gg 

UPDATE: Eu acabei encontrando mais 2 estudos prontos bem parecidos no site, trocando alguns ETFs mas que no final o resultado ficou quase o mesmo, links:

  1. https://portfolioslab.com/portfolio/david-swensen-yale-endowment
  2. https://portfolioslab.com/portfolio/david-swensen-lazy-portfolio

Até o futuro!