segunda-feira, 30 de março de 2020

Livro: Investindo em Ações no Longo Prazo

Este é um clássico do mundo dos investimentos, Jeremy Siegel fez um ótimo estudo do mercado de ações e títulos americanos, compilando dados de 200 anos, e nos traz informações muito importantes sobre risco de cada classe de investimento.

Foi com base nos dados deste livro que eu decidi a alocação 50% RF e 50% RV variável, foi uma adaptação minha, muitos que leram este livro acabam por escolher 100% renda variável, mas se você observar com atenção, embora as ações no longo prazo sempre venceram os títulos, tem alguns períodos da história onde títulos que pagam inflação+ conseguem ganhar, principalmente no curto prazo, então pensei em utilizar isso pra balanceamento da carteira.

Para investimentos com prazo acima de 10 anos, as ações sempre venceram os títulos e letras desde 1802. Para períodos acima de 17 anos, as ações nunca ofereceram um retorno negativo.

Uma das minhas anotações no Kindle sobre o livro

Abaixo tirei mais uma captura do livro, espero que não tenha problemas em compartilhar isso, mas achei essa parte muito relevante para o investidor, dependendo do tempo que pretende manter seus investimentos, há um percentual ideal para cada tipo de investimento que faz com que seu risco seja mínimo, com base nos retornos em cada horizonte de tempo.


Foi com base nestes estudos que montei a página sobre alocação, que eventualmente eu ainda edito e dou umas melhoradas. Warren Buffett disse uma vez que o horizonte de tempo que ele considera ideal para um investimento é para sempre. Quando eu morrer, não é necessário vender os ativos, simplesmente passarão a meus herdeiros, então nesse caso Buffett tem razão.

Mais adiante o autor explica diversas formas de analisar o mercado, e como algumas análises prejudicaram os investidores. Por exemplo, antigamente era esperado que as ações pagassem um rendimento maior que os títulos, já que são mais arriscadas, só que de 1958 até 2009 o rendimento das ações foi menor que o rendimento pago pelos títulos, só que os retornos reais das ações foram em média 6% ao ano superiores aos títulos.

"As ações eram um direito sobre ativos reais cujos preços aumentavam com a inflação, ao passo que os títulos de longo prazo não."


Uma questão que chamou minha atenção foi sobre as empresas boas pagadoras de dividendos, eu já li o livro do Decio Bazin, Faça Fortuna com Ações, e ele defende justamente investir em empresas que paguem mais dividendos do que a renda fixa, geralmente é difícil encontrar essas oportunidades, mas enfim, com base nos estudos do Siegel do mercado americano, as empresas que pagam mais dividendos são as que oferecem melhor retorno no longo prazo e menor beta, ou seja, menor risco.

Estudo realizado pelo autor separando em grupos de acordo com dividendos

É até complicado tentar resumir este livro, todo ele possui muitos dados estatísticos e conclusões sobre diversas formas de investir, então eu recomendo que todos leiam pelo menos 1x este livro, teriam muito mais informações interessantes pra compartilhar, mas aí o post ficaria muito longo.

Boa leitura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique a vontade para contribuir com suas ideias ou dúvidas. Obrigado!